Publicidade
Acompanhe:
Notícias | Gravataí Mobilização

Há um ano interditado, primeiro de quatro prédios da escola Tuiuti voltará a ter alunos

Três prédios de salas de aula seguem interditados e sem prazo para início das obras de recuperação. Comunidade organiza jantar baile beneficente neste sábado (14) para garantir a maior escola estadual de Gravataí aberta em 2020

Por Eduardo Torres
Última atualização: 10.12.2019 às 10:11

Prédio interditado em novembro de 2018 finalmente está recuperado Foto: Fernando Lopes/GES
Um ano depois de ter as portas fechadas, quando o forro de uma das salas de aula desabou, finalmente, nesta semana, a diretora da escola Tuiuti, Geovana Rosa Affeldt, recebeu de volta das chaves do prédio 4 e nos próximos dias os ajustes finais da obra de recuperação devem ser feitos, assim como a limpeza e pintura do local para voltar a receber alunos da maior escola estadual de Gravataí. Este foi o primeiro dos quatro prédios da escola a ser interditado. Os demais, seguem proibidos de receber os estudantes, e a Secretaria Estadual da Educação ainda não abriu licitação para executar as obras necessárias, mas a retomada daquela instalação é encarada como um sopro de esperança pela comunidade e um trunfo para garantir a escola de pé em 2020.

"Assim que for possível, já retomaremos aulas naquele prédio. Nossa intenção é voltarmos com as turmas dos pequenos ali, se possível, ainda em 2019", diz a diretora.

Desde a interdição total dos prédios com salas de aula aconteceu, em novembro, a comunidade se mobilizou e parte das aulas tem acontecido em espaços improvisados do prédio administrativo e do salão de eventos da própria escola, além dos salões da Igreja São José e do CTG Carreteiros da Saudade.

Como boa parte dos professores aderiu à greve do magistério, diminuiu a frequência de uso dos espaços alternativos fora da escola. Entre os que não aderiram, as aulas seguem até o dia 20 de dezembro, mas é provável que parte dos estudantes entrem janeiro com aulas. Na Tuiuti, isso significa que a mobilização seguirá. E no próximo sábado (14), a comunidade promete uma grande demonstração de força. Na sede do CTG, acontece um jantar baile beneficente à escola.

Tem procura para 2020

A intenção é arrecadar recursos que possibilitem melhorias estruturais, independentemente da execução das obras necessárias pelo Estado, nos prédios para o retorno das aulas em 2020. E se a perspectiva, com a interdição ainda sem prazo de retomada de três prédios de salas de aula, era de diminuição de até seis turmas — 210 alunos a menos —, sem o ingresso de novos alunos no próximo ano, a comunidade tem feito um movimento oposto. Nos próximos dias a direção da escola deve levar à Secretaria da Educação uma lista que já tem 200 nomes de interessados em vagas na escola para o próximo ano letivo. A escola conta atualmente com 1.300 alunos.

"Esta sempre foi uma característica da Tuiuti. A cada ano, criamos de seis a sete turmas de alunos novos. Isso representa em torno de 245 novos estudantes a cada ano. A procura é uma demonstração da confiança que a comunidade tem na escola", diz a diretora.

À direção da escola, a Secretaria da Educação assegurou que as obras na Tuiuti são consideradas emergenciais — o que abreviaria a burocracia do processo licitatório. A reportagem tentou contato com a secretaria, mas ainda não teve retorno.

Ano difícil

A precariedade das antigas instalações onde funciona a escola Tuiuti começou a ser escancarada no final do ano passado, quando as turmas das séries iniciais foram retiradas das salas do prédio 4, sob risco de que o forro desabasse. No dia seguinte à retirada, de fato, caiu o teto. O prédio foi interditado e as aulas dos pequenos passaram a ser improvisadas em outros espaços da escola.

Ainda restam reparos em três prédios com salas de aula interditados Foto: Fernando Lopes/GES

Ainda em dezembro, uma empreiteira iniciou as obras de recuperação daquela estrutura, mas, sem pagamento, parou tudo no mês seguinte. E seguiu assim até junho deste ano, alunos e pais ocuparam a escola por uma semana como protesto contra a estrutura de todas as instalações. Era evidente que os forros e as instalações elétricas nos demais prédios de salas de aula eram semelhantes ao do 4.

A mobilização terminou quando o Estado fez um reparo emergencial, retirando os forros dos três prédios. As aulas foram retomadas, mas com a chuva e o calorão, um relatório da Secretaria de Obras do Estado determinou a interdição total dos três prédios até que reparos, principalmente no forro e na parte elétrica, fossem feitos.

No prédio 4, as obras só foram retomadas de vez no final de agosto. Agora, terminam, finalmente.

Para contribuir

A preocupação na comunidade agora é garantir a Tuiuti aberta em 2020. Com ou sem as obras do Estado nos três prédios interditados. Para contribuir, os ingressos para o jantar baile deste sábado custam R$ 25 (adulto) e R$ 15 (crianças de 6 a 12 anos). Menores de seis não pagam. O cardápio no CTG Carreteiros da Saudade será galeto, massas e saladas.

Ainda é possível contribuir com doação de frango, refrigerante, carvão e descartáveis. O contato para compra de ingressos ou doações é o 3490.3223.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.