Publicidade
Acompanhe:
Notícias | Região Da Afusca para o Brasil

Gordiola de Cachoeirinha está entre os melhores treinadores do futsal brasileiro

Thiago Gordo, um dos destaques do time vencedor da Afusca, em 2013, comanda desde 2017 o Tubarão, e neste ano, concorre a melhor treinador da Liga Nacional de Futsal

Por Eduardo Torres
Última atualização: 02.12.2019 às 15:24

Gordiola é o único treinador gaúcho entre os três destaques da Liga Nacional de Futsal em 2019 Foto: Divulgação
Desde o final da última semana está no ar a pesquisa interativa da Liga Nacional de Futsal para a escolha da seleção da competição em 2020. Entre os nomes de treinadores, há três concorrentes, só um gaúcho. Mais especificamente, um cachoeirinhense. Thiago Raupp, o Gordo, mas pode chamar de Gordiola, treinador do Tubarão há pouco mais de dois anos, foi indicado pelos próprios treinadores das equipes da Liga como um dos destaques da temporada.

E se o nome é uma das novidades no cenário nacional do futsal, para o fã do esporte em Cachoeirinha, Gordo, é bem conhecido. Ainda como jogador, ele estava naquele grupo histórico e vencedor da extinta Afusca, semifinalista do estadual em 2013. Thiago parou de jogar em 2016, e no ano seguinte, foi convidado para assumir o seu primeiro clube como treinador, justamente o Tubarão, clube catarinense em que jogou por quatro temporadas e, até agora, o único clube que comandou fora de quadra.

"Não chego a me surpreender pela indicação entre os melhores da temporada, porque o trabalho da equipe em 2019 foi muito positivo. Com um investimento abaixo dos dez primeiros da Liga, terminamos a primeira fase com a quarta melhor campanha, um ponto atrás dos líderes. Paramos nas quartas de final, mas acho que poderíamos ter ido além. O legal é que este reconhecimento vem dos colegas, dos outros treinadores. Mostra que estou conseguindo evoluir", diz o Gordiola de Cachoeirinha.

CLIQUE PARA VOTAR NO THIAGO GORDO

No ano passado, Thiago Gordo chegou às oitavas de final e, em 2017, quando assumiu o time em uma situação complicada no final da primeira fase da competição, também chegou às oitavas.

Campeão catarinense deste ano, ele tem contrato com o Tubarão até o final de 2020. E lá, está muito à vontade. O convite para assumir o comando da equipe veio do atual vice-prefeito da cidade, que havia sido diretor do clube quando Thiago Gordo jogou por lá. Isso foi entre 2008 e 2011. Além do Tubarão, na antiga Unisul, Gordo passou pela Ulbra, Itapagé (Frederico Westphalen), Reserg (Bento Gonçalves), Cortiana (Farroupilha), Três Coroas e Abelc, além de duas passagens pelo futsal do Kuwait.

E a Afusca?

Entre uma passagem e outra pelo Exterior, em 2013, Thiago Gordo foi um dos reforços da Afusca. E fez história. Era um dos líderes no grupo que só foi parado pela poderosa ACBF, nas semifinais da Série Ouro. O Ginásio Municipal, ou melhor, o Alçapão da Afusca, já não ruge como seis anos atrás. Mas o Gordiola não esconde o carinho pela cidade e o futsal gaúcho.

"Seria fantástico um dia poder voltar para Cachoeirinha. É a minha cidade, a minha casa, mas sabemos o quanto é difícil fazer futsal hoje, sem apoio institucional e do próprio poder público. Mas eu admito que é sim, um sonho meu, a retomada da Afusca e, quem sabe, um dia treinar o time da cidade", diz.

Nelsinho Bavier, o treinador daquela equipe histórica da cidade, está entre os exemplos que o agora técnico de futsal carrega na sua carreira. Além de Paulinho Gambiera, que foi o treinador que por mais tempo o camandou, PC Oliveira, atualmente no futebol, Ferreti e Bié. Mas e o apelido, Gordiola, é à toa?

"É uma brincadeira do pessoal, mas eu admiro muito mesmo o trabalho do Guardiola. Li o livro dele e o do Alex Ferguson. Eles também inspiram o meu trabalho", conta.

Para votar no Thiago Gordo como o técnico da temporada na Liga Nacional de Futsal, basta acessar o site da liga e entrar na opção de formação da seleção de 2019.

A histórica formação da Afusca, com o Gordo à esquerda (camisa 6), semifinalista estadual de futsal Foto: Divulgação

Seis anos depois

Entre os 17 jogadores da base do grupo de 2013 da Afusca, só o Thiago Gordo, até agora, se tornou treinador de futsal profissional. Nove deles ainda atuam profissionalmente, e só dois no Rio Grande do Sul. Cinco deles estão onde as principais equipes do futsal brasileiro hoje estão, entre Paraná e Santa Catarina. E há ainda os casos do Jean, que atua na Itália, e do Neto Caraúbas, na Romênia.

Dos sete atletas daquele time que já não atuam no futsal, quatro também ensinam, como é o caso do Gustavo Pelissoli, que tem uma escolinha em Sapucaia do Sul, mas não necessariamente o futsal, como o Gordiola. São os casos do Alemão, que virou professor de italiano, do Rafael, professor de educação física, e do Didi, estudante da Feevale, e que ainda atua pela equipe universitária.

E a dupla que comandava a equipe que fez história no esporte de Cachoeirinha também segue trabalhando pelo futsal. Nelsinho Bavier e Éverson Bitencourt hoje comandam a Liga Gaúcha de Futsal, com sede na cidade.

ONDE ESTÃO OS ASTROS DA AFUSCA

Tubarão: Thiago Gordo (treinador)
Toledo: Felipe (goleiro), Andrew
Marreco Futsal: Pato
Dois Vizinhos (PR): Fio
Pelotas: Maurício
Cometa (RS): Ragner
ADC Curitibanos (SC): João Henrique
Europa: Neto Caraúbas (Romênia), Jean (Itália)
Abandonaram o futsal: Alemão, Beto, Rafael, Éverton (goleiro), Didi, Mauricinho e Gustavo Pelissoli

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.