Olá leitor, tudo bem?

Use os í­cones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, ví­deos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Tecnologia

Será que o Google vai salvar você do engarrafamento?

Função está sendo introduzida aos poucos.

Foto por: Divulgação
Descrição da foto: Maps vai permitir que usuários interajam entre si com informações sobre congestionamento
O Google Maps, o app de trânsito do Google, agora vai começar a avisar de engarrafamentos a partir do feedback de usuários, da mesma forma como faz o concorrente Waze. O Maps já possuía uma funcionalidade que apontava volume de tráfego e, inclusive, desviava o usuário levando em consideração o tempo de trânsito nas vias congestionadas. Porém, estes eram dados captados automaticamente de sistemas municipais ou oficiais de trânsito e anexados no banco de dados do Google.

Agora, um usuário que estiver trancado no trânsito pode avisar os outros que fizerem a mesma rota sobre o problema que ele está enfrentando. Assim como no Waze, isso permite uma ação mais efetiva nas vias em que não costumam haver informações automáticas disponíveis para o Google. O Maps também já incluía o recurso de sinalizar radares e obstruções disponível para usuários, mas era uma função de testes não disponível para todos, e também meio escondida.

O novo recurso do Maps vai ser implementado aos poucos, começando pelas versões de teste, e depois sendo introduzido para alguns usuários de cada vez via atualização automática.

WhatsApp testa mudanças em áudio e vídeo

Função para executar vários áudios em sequência e modo picture in picture modificado estão na versão beta do popular aplicativo de mensagens.

Foto por: Reprodução
Descrição da foto: WhatsApp já disponibilizou novidades na versão beta, de testes
O WhatsApp está testando aprimoramentos em duas funcionalidades. Ambas já estão disponíveis na versão beta do aplicativo, aquela reservada a testes entre os usuários que se dispuserem a aderir. 

Uma das funções fica de olho naqueles que gostam de trocar mensagens de áudio e que volta e meia precisam parti-las em várias mensagens. Agora, na hora de ouvir, o usuário pode selecionar quantas mensagens de áudio serão incluídas e todas podem ser tocadas em sequência.

A outra função é de vídeo, com aprimoramentos no picture in picture, a telinha com execução de vídeo que aparece como um detalhe na janela principal do aplicativo. Você pode digitar enquanto assiste um vídeo que recebeu. O recurso já existia, mas de forma limitada, e muitos usuários nem tomavam conhecimento dele. O WhatsApp está testando uma melhoria que deixa o processo mais intuitivo.

Governo federal quer digitalizar serviços

Modelo para desburocratização e acessibilidade vai ser inspirado na Dinamarca.

Para dar sequência à proposta de simplificar os serviços ao cidadão, o governo federal firmou hoje (21) com a Dinamarca um acordo para aprender boas práticas de digitalização e desburocratização de serviços. O objetivo é descobrir a melhor forma de economizar e facilitar o acesso das pessoas a serviços essenciais.

“Nós temos hoje no Brasil a questão do pagamento de impostos federais, estaduais e municipais, temos uma burocracia regulatória muito grande. E isso dificulta muito a vida dos empresários e empreendedores e impacta na geração de emprego, renda e oportunidades. Então, certamente é uma área em que temos muito a melhorar”, disse o secretário especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia, Paulo Uebel.

Segundo Uebel, a meta do governo federal é digitalizar mais de mil serviços em dois anos. Ele disse, porém, que a sociedade poderá sentir a diferença bem antes, em cerca de um ano. Algo que já mudou, segundo ele, foi o certificado internacional de vacinação, necessário para viagens ao exterior. Antes, era preciso ir ao aeroporto fazer a requisição e depois voltar lá para buscar o documento, tarefa que não é tão simples para quem não mora perto do aeroporto.

“Hoje você pode fazer sem sair de casa. Precisamos pegar esse mesmo exemplo e levar para outras áreas, principalmente aquelas que afetam a vida das pessoas mais vulneráveis, o dia a dia do trabalhador, dos aposentados”, disse Uebel.

O embaixador da Dinamarca no Brasil, Nicolai Prytz, reconhece que as realidades dos dois países são diferentes – enquanto o país europeu tem pouco mais de 5 milhões de habitantes, o Brasil passa de 200 milhões –, mas diz que é possível o Brasil tirar lições úteis.

Atualmente, a Dinamarca lidera o ranking dos países com maior índice de digitalização do mundo. Segundo Prytz, foi um caminho longo, de 15 anos, até o país chegar ao patamar atual. “Nosso caminho não foi fácil. Hoje somos líderes mundiais em [matéria de] governo digital, mas a gente cometeu muitos erros no caminho. Então, queremos dividir nossas experiências com o governo brasileiro. Porque vocês podem não cometer os mesmos erros que nós”, disse o embaixador.

Asteroide vai passar mais perto do que a Lua na quinta-feira

Não há perigo para a Terra.

Foto por: Reprodução
Descrição da foto: Foto de um asteroide do Sistema Solar. Uma pedra dessas vai passar perto da Terra na quinta, mas sem perigo
O NEO Earth Close Approaches da Nasa, programa da agência espacial norte-americana que monitora objetos celestes nas proximidades do planeta, está apontando que um asteroide vai passar bastante perto da Terra na quinta-feira. O 2019 EA2 vai passar a uma distância de 0,00205 unidades astronômicas, o que equivale a pouco mais de 306 mil quilômetros. A Lua, como comparativo, fica a 384 mil quilômetros. Segundo os dados da Nasa, o momento mais próximo da passagem será às 01h53 do dia 22 no horário de Greenwich, o que no horário brasileiro é 22h53 de quinta-feira.

Conforme a Nasa, o 2019 EA2 tem diâmetro de 18 a 40 metros e está em velocidade relativamente lenta, 5.37 quilômetros por segundo (outros objetos semelhantes costumam ter o dobro ou o triplo da velocidade. A Nasa avisa que não há risco de impacto com o planeta. O tamanho também não seria suficiente para causar estragos em larga escala, embora seja o suficiente para chegar à superfície após entrar na atmosfera. Você não gostaria de morar exatamente no lugar onde caísse uma pedra destas, mas não precisa se preocupar com isso desta vez.