Publicidade
Botão de Assistente virtual
Cotidiano | ABC Pra Você | Motores Impressões ao dirigir

Volvo C40: o melhor de vários mundos

Com 409 cv de potência, modelo sueco tem desempenho alucinante com zero emissões

Por Adair Santos
Publicado em: 26.05.2022 às 06:00 Última atualização: 08.06.2022 às 16:44


Potência e desempenho de superesportivo V8, economia equivalente à de um patinete elétrico, zero emissões. O C40 Recharge reúne o melhor de vários mundos e é o segundo modelo 100% elétrico da Volvo, que segue forte em sua ofensiva "verde". A meta é oferecer apenas modelos elétricos até 2030. Lançado no Brasil em março, o C40 custa R$ 419,95 mil, R$ 20 mil a mais que o XC40.

Foto por: Adair Santos/GES-Especial
Descrição da foto: Faróis e lanternas com identidade visual que lembra o Martelo de Thor

Testar um elétrico é sempre uma experiência bacana. A começar pelo silêncio absoluto ao ligar o veículo. Aliás, a partida já é algo que foge do comum: não há chave para ser girada ou botão específico para ser pressionado. Basta estar com a chave em mãos ou no bolso e colocar a manopla do câmbio em D ou R e sair andando, sem a necessidade de soltar o freio de mão. Tudo ocorre de forma automática, assim como no final da viagem, quando basta acionar a tecla P (Parking ou estacionado) e sair do carro, que se desliga automaticamente. Em locais silenciosos, ouve-se apenas um leve zunido dos motores elétricos em ação. Em velocidades mais elevadas, os únicos barulhos são o vento e o som dos pneus em contato com o asfalto.

Uma verdadeira "patada"

Ao volante, impressiona a disponibilidade instantânea do torque, uma característica dos motores elétricos. Os dois propulsores P8 AWD (All Wheel Drive) geram 67,34 kgfm, bem como 409 cv (408 hp) de potência. Com o pé no fundo, permitem aceleração de 0 a 100 km/h em apenas 4,7 s, tempo igual ou inferior ao de muitos superesportivos a gasolina por aí. Em qualquer velocidade, as retomadas são assustadoramente rápidas. Já a velocidade máxima é limitada a 180 km/h.

"Encher o tanque" custa 80 reais

Foto por: Pedro Danthas/Divulgação
Descrição da foto: Proprietário pode deixar o carro carregando durante a noite

Assim como no XC40, são necessários entre 60 reais e 80 reais para "encher o tanque", tendo como referência tarifas de energia vigentes em São Paulo. Conforme a Volvo, 1 real gasto com eletricidade permite rodar 4 vezes mais do que esse mesmo real gasto com a gasolina.

Os proprietários do C40 contam como uma wallbox, o que facilita bastante a vida, pois basta deixá-lo carregando durante a noite. O alcance prometido é de 440 km (WLTP) com uma única carga. Dessa forma, uma viagem até Florianópolis, por exemplo, exigiria uma parada muito bem planejada para recarga.

Para recarregar as baterias, durante o teste a solução foi utilizar o totem disponibilizado pela Iesa BMW Novo Hamburgo, às margens da BR-116. Após três horas, a carga subiu de 52% para 92%. Para rodar 40 km, são necessários cerca de 10% a 12% de bateria, dependendo do peso do pé. Na cidade, o gasto de energia é menor devido ao "anda e para", mas na estrada é maior.

Na hora de devolver o carro da montadora para a concessionária Iesa Volvo de Porto Alegre, o nível baixou de 26% para 14% após cumprir os 44 km. Dá um certo frio na barriga saber que não se pode encostar em um posto de combustíveis para colocar 50 reais ou 100 reais de gasolina, mas tranquiliza o fato de saber que o sistema da Volvo é bastante confiável. O XC40 elétrico testado há alguns meses marcava apenas 2% de carga quando foi devolvido. Isso sim é dirigir com emoção...

Visual cupê

Linha da coluna C tem ligeira queda
Linha da coluna C tem ligeira queda Foto: Adair Santos/GES-Especial

O visual cupê, reforçado pelos aerofólios e spoilers traseiros, é o grande diferencial do C40 em relação ao irmão XC40. As belas rodas em liga-leve de cinco raios têm corte de diamante.

O teto preto reforça o apelo de modernidade, assim como os faróis e lanternas com a assinatura do Martelo de Thor. Modelo tem 4,44 m de comprimento, 2,70 m de entre-eixos, 1,87 m de largura e 1,59 m de altura, pesando 2.207 kg. No porta-malas, cabem 413 litros e, na frente, como não há um motor a combustão ocupando espaço, foi criado um compartimento extra de 30 litros.

Cadê o motor? Habitáculo na frente transporta 30 litros
Cadê o motor? Habitáculo na frente transporta 30 litros Foto: Adair Santos/GES-Especial

Luxo, conetividade e tecnologia a bordo

Cluster digital e configurável
Cluster digital e configurável Foto: Pedro Danthas/Divulgação

A bordo, muito luxo, tecnologia e conectividade. Uma curiosidade é que o funcionamento do ar quente ou ar-condicionado quente é imediato, muito diferente dos carros a combustão, em que é preciso esperar cerca de um minuto até o motor esquentar.

Assim como no XC40, o modelo é equipado o Pilot Assist e Controle de Cruzeiro Adaptativo (ACC), que usa sensores e câmeras para monitorar as faixas das vias e um sistema que comanda a aceleração e a frenagem, auxiliando no deslocamento do veículo ao contornar curvas abertas em rodovias, além de controlar a distância do carro adiante. Além de fáceis de usar, os sistemas semiautônomos têm ótima calibragem, funcionando muito bem no dia a dia. Já o City Safety reconhece pedestres, ciclistas e animais de grande porte, podendo frear e até girar o volante para evitar ou minimizar uma colisão.

Por fim, também vem com câmera 360 graus, Alerta de tráfego cruzado (CTA), alertas de mudança de faixa (LKA) e de ponto cego (Blis).

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.