Publicidade
Cotidiano | Turismo Turismo

Sete dicas para viajar em 2021 sem descuidar da segurança

Veja como aproveitar as férias com todos os cuidados que o momento exige

Por Agencia Estado
Publicado em: 09.01.2021 às 03:00 Última atualização: 09.01.2021 às 11:21

Chapada das Mesas, no Maranhão. O Cerrado está entre os destinos isolados em alta Foto: fotos Adobe Stock
A pandemia complicou a vida de todo mundo. Entre os planos que tiveram que ser postergados ou precisaram ser revistos estão as viagens. Veja dicas para, nestas férias ou ao longo do ano, curtir alguns passeios sem susto e com toda a segurança que o momento exige.

1. Planejar para
viajar mais barato

Para economizar, segue valendo a dica de planejamento com antecedência. "O turismo continua em queda, e os preços acompanham isso. No internacional, tem tarifas supercompetitivas para 2021 de julho em diante", afirma Magda Nassar, presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav).

Segundo Roberto Haro Nedelciu, presidente da Associação Brasileira das Operadoras de Turismo (Braztoa), outra vantagem dos pacotes é poder "parcelar sem juros e viajar com tudo praticamente pago".

"Para destinos internacionais, indicamos uma média de seis meses de antecedência. Para os nacionais, esse tempo pode cair para dois a três meses."

2. Desconfiar de preços e promoções milagrosos

Em tempos de crise, todo mundo está atrás de um precinho camarada e as agências de viagem, hotéis e empresas do setor estão loucas para vender. Mas é preciso cuidado para não cair em roubada, alerta Luiz Gonzaga Godoi Trigo, professor do curso de Lazer e Turismo da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo.

"Se for muito barato, é para desconfiar. Tem muita gente se aventurando, por incompetência, má administração ou má fé, e podem dar golpes em clientes", afirma.

Kasbah Ait Ben Haddou no Marrocos, país onde especialista ensina a negociar bons preços Foto: Adobe Stock
3. Buscar alternativas para viajar mais barato

Quem está aberto a aventuras e tem mais tempo disponível pode procurar maneiras de viajar barato. "Exige muita pesquisa e negociação, com hostel e até em passagem de ônibus e táxi. No Brasil, não tem isso, mas consegui um preço menor assim no Marrocos, no Peru e na Bolívia", diz Luís de Magalhães, que fez um giro por 27 países.

4. Explorar nichos como turismo afro e indígena

Que tal aproveitar o novo ano para se abrir a outras possibilidades de viagem? Pode ser um jeito de apoiar comunidades Brasil afora e até mudar sua vida. Foi assim com Ana Taranto, que conheceu a Amazônia em 2016 e se apaixonou.

O afroturismo também é oportunidade de ampliar o conhecimento e contribuir com os lugares visitados. "Você cria possibilidades de futuro para essas pessoas", afirma Bia Moremi, que faz roteiros afrocentrados.

"Afroturismo não é só a contação de história. Por onde a gente passa necessariamente vai ter história de dor, mas é dado muito foco na audácia, no amor e no enfrentamento, em coisas mais sutis", explica.

5. Conhecer mais destinos isolados

Entre os 25 lugares mais extraordinários do mundo eleitos pela revista National Geographic Traveller para se conhecer em 2021 está o nosso cerrado, na categoria

Lugares Selvagens Bonitos. "A taxa de ocupação para os hotéis de lazer em áreas remotas foi maior por haver uma necessidade de se cumprir o isolamento social como medida de segurança", conta Simone Scorsato, que trabalha na área.

6. Cheque a saúde e as vacinas antes de embarcar

A expectativa pela vacina contra o coronavírus acaba ofuscando outras. Mas antes de sair de casa para uma viagem, fique atento à cobertura necessária no dia a dia e à recomendada em roteiros por certas regiões do País.

"Especialmente para quem viaja com crianças, é importante ficar atento à cobertura vacinal", afirma Jessé Reis Alves, infectologista do ambulatório de Medicina do Viajante do Hospital Emílio Ribas.

Além disso, muitos países aceitam viajantes vindos do Brasil, desde que apresentem exames PCR (de 24h a 72h de antecedência, dependendo do destino). Não esqueça de checar com a companhia aérea antes.

Paisagem em Cabo Polonio, Rocha, no Uruguai. Viagens de carro estão entre sugestões Foto: Adobe Stock
7. Seja responsável ao viajar na pandemia

Usar máscara e manter o distanciamento social são indicações para todos enfrentarem o coronavírus, mas viajantes ainda resistem a cumprir os protocolos de saúde e segurança sanitária propostos pelo setor de viagens.

"Tem gente que faz uma história porque não quer usar máscara, não quer ter a temperatura medida. É uma coisa impressionante como as pessoas se irritam de ficar distante nas filas de aeroporto, de respeitar as mesas vazias nos restaurantes", conta Magda, da Abav. "O viajante responsável cuida não só de si, mas dos outros."

Quem se propõe a viajar na pandemia deve redobrar os cuidados para não correr o risco de contaminar os moradores. O ideal seria ir de carro, com pessoas que vivem na mesma casa, para destinos isolados, levando os mantimentos necessários. Caso não seja possível viajar assim, ao menos use máscara e fique longe das aglomerações. Mesmo no verão, o vírus segue circulando - e a vacina, ao menos no Brasil, ainda não é uma realidade. (AE)

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.