Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Gravataí SAÚDE

Cerca de 80% dos atendimentos nas UPA’s de Gravataí são de pessoas com sintomas de doenças respiratórias

Apesar da alta procura por atendimento na primeira semana do ano, número de internações por Covid-19 é baixa no município

Publicado em: 08.01.2022 às 17:19 Última atualização: 08.01.2022 às 18:22

Em média 320 pessoas pessoas com sintomas de doenças respiratórias são atendidas diariamente nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de Gravataí. Isso representa cerca de 80% de todas as consultas realizadas nos postos 74 e Moradas neste início de ano.

Apesar da alta, o número de internações por Covid-19 segue baixo no município. Das 36 Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) à disposição no Hospital Dom João Becker, apenas três estão ocupadas com pacientes positivados para o vírus, segundo dados divulgados pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS), no painel do Governo do Estado.

UPAs vem recebendo grande demanda e a partir deste sábado passam a realizar testes de Covid-19
UPAs vem recebendo grande demanda e a partir deste sábado passam a realizar testes de Covid-19 Foto: Prefeitura Municipal de Gravataí/Divulgação
Conforme o secretário da Saúde, Régis Fonseca, o alto número de atendimentos preocupa o poder público, no entanto ele afirma que não há casos graves na cidade. “Isso nos deixa aliviados, apesar da alta procura o número de internações por Covid é muito baixo no município, os sintomas são mais leves.” Segundo ele, isso se deve também pelos números da vacinação em Gravataí. ”Temos 73,2% da população com pelo menos uma dose e 62,9% com o esquema vacinal completo.”

Os dados divulgados pela pasta no painel do Governo do Estado, que mostra a ocupação das UTI`s no Rio Grande do Sul, mostram que dos 18 leitos adultos, 16 estão ocupados, sendo 12 por pacientes com outras doenças. Ainda existe um caso suspeito e três positivos. Na UTI do Sistema Único de Saúde (SUS), são 14 internações e nenhuma pelo coronavírus, assim como nos leitos particulares, que são dois, ambos ocupados.

Perigo de contaminação

O alto número de pessoas que procuram as UPAs com sintomas de doenças respiratórias, podendo se tratar da Covid-19 ou ainda da gripe H2N3, causa risco aos pacientes que buscam o atendimento por outros motivos. Sobre isso, o secretário disse que no momento não é possível fazer a separação. “O prejuízo de não ser atendido nas UPA’s seria muito grande para os pacientes, elas são referências na cidade, assim como o Hospital Dom João Becker.”

O Hospital de Campanha, que realizava o atendimento exclusivo para a Covid-19 no município, foi desativado no dia 27 de agosto e conforme Régis, não há a possibilidade de ser reaberto neste momento. “Não temos casos graves e o número de internações é muito pequeno, isso nos tranquiliza para seguimos atuando com o Becker e as duas UPA's, além das unidades de saúde”, concluiu.

Testagem nas UPA’s e em seis Unidades de Saúde

Até esta sexta-feira (7), os moradores que precisavam fazer o teste para saber se estavam, ou não, positivados com a Covid-19, deveriam entrar em contato com o Serviço de Atendimento Especializado (SAE) e fazer o agendamento por telefone. No entanto, a estratégia foi modificada a partir deste sábado (8), com as UPAs passando a realizar o teste rápido (antígeno) e também a coleta de material através do exame RT-PCR.

A partir de segunda-feira (10), a população poderá agendar a testagem na sua unidade de saúde de referência. De acordo com a prefeitura, após passar por atendimento, os pacientes sintomáticos, entre o 1º e 8º dia de sintomas, serão encaminhados para coletar o exame RT-PCR.

Os pontos de coleta serão seis Unidades de Saúde indicadas individualmente mediante agendamento. A Secretaria não divulgou os locais pelo fato da recomendação ser procurar a unidade mais próxima. “O governo do Estado vai nos passar um número limitado de testes rápidos, por isso que eles serão utilizados apenas nas UPA's”, afirma o secretário da Saúde.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.