Publicidade
Notícias | Mundo Economia

Bolsas da Ásia fecham em alta com otimismo sobre incentivos e economia; Seul cai

A exceção foi o mercado sul-coreano, que caiu após as montadoras Hyundai e Kia negarem estar em negociações com a Apple para desenvolver carros autônomos

Por Estadão Conteúdo
Publicado em: 08.02.2021 às 08:35 Última atualização: 08.02.2021 às 08:36

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta nesta segunda-feira (8), em meio a expectativas de que os Estados Unidos aprovem um novo pacote fiscal e crescente otimismo sobre a recuperação da economia global. A exceção foi o mercado sul-coreano, que caiu após as montadoras Hyundai e Kia negarem estar em negociações com a Apple para desenvolver carros autônomos.

O índice acionário japonês Nikkei saltou 2,12% em Tóquio nesta segunda-feira, a 29.388,50 pontos, atingindo o maior nível desde agosto de 1990, enquanto o Hang Seng teve modesta alta de 0,11% em Hong Kong, a 29.319,47 pontos. Na China continental, o Xangai Composto subiu 1,03%, a 3.532,45 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 1,21%, a 2.360,78 pontos. Em Taiwan, o mercado local não operou devido a um feriado.

No fim da semana passada, o Congresso americano aprovou resoluções que facilitam a tramitação do pacote fiscal de 1,9 trilhão de dólares proposto pelo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, permitindo sua aprovação por maioria simples no Senado, onde os democratas têm 51 de 100 votos. A expectativa é que Biden retome negociações sobre novos incentivos fiscais com parlamentares nesta semana.

Analistas também esperam que a economia mundial volte a crescer este ano, após contrair em 2020 em meio à pandemia de Covid-19. Países asiáticos dependentes de exportações, como Japão, Coreia do Sul e China, deverão ser fortemente beneficiados por uma recuperação. Investidores estão mais animados com resultados corporativos melhores do que o esperado, relatos de que a recente alta nos casos de coronavírus está desacelerando e progresso na distribuição de vacinas.

Diante do apetite por risco, ficaram em segundo plano notícias de que a China emitiu novas diretrizes antimonopólio, endurecendo restrições às plataformas de internet do país, e sobre uma queda nas reservas cambiais do gigante asiático. Já a Bolsa de Seul ficou no vermelho nesta segunda, após papéis da Hyundai e de sua afiliada Kia sofrerem tombos de 6,20% e 14,98%, respectivamente. Em comunicados, as montadoras disseram que "não estão em conversas sobre o desenvolvimento" de carros autônomos com a Apple, como chegou a ser divulgado na semana passada. O índice acionário Kospi caiu 0,94%, encerrando o pregão em Seul aos 3.091,24 pontos.

Na Oceania, a bolsa australiana seguiu o tom majoritário na Ásia, e o S&P/ASX 200 avançou 0,59% em Sydney, a 6.880,70 pontos, alcançando o maior patamar em quase um ano. (Com informações da Dow Jones Newswires e Associated Press).

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.