Publicidade
Notícias | País Auxílio na pandemia

Governadores contestam Bolsonaro sobre valores repassados pela União e apontam distorções

Documento foi assinado por 16 líderes estaduais, entre eles o gaúcho Eduardo Leite

Publicado em: 01.03.2021 às 11:19 Última atualização: 01.03.2021 às 11:44

Presidente Jair Bolsonaro Foto: Isac Nobrega/Presidência da República
Documento assinado por 16 governadores brasileiros, entre eles o gaúcho Eduardo Leite, contesta dados da presidência da República sobre os repasses da União, feitos ao Estados, durante o ano de 2020. Publicadas nas redes sociais do governo, neste domingo (28), segundo manifestação dos governadores que assinam a nota, as informações distorceram os fatos e geraram interpretações equivocadas e ataques aos governos locais.

O presidente Jair Bolsonaro, assim como parlamentares aliados, também fizeram a publicação em redes socais, abrindo os valores recebidos por cada Estado. Ao Rio Grande do Sul, por exemplo, Bolsonaro escreveu que o Piratini recebeu R$ 40,9 bilhões da União para uso na Saúde e outras áreas, mais R$ 12,2 bilhões como auxílio por conta da redução na arrecadação de impostos.

"Em meio a uma pandemia de proporção talvez inédita na história, agravada por uma
contundente crise econômica e social, o governo federal parece priorizar a criação de confrontos, a
construção de imagens maniqueístas e o enfraquecimento da cooperação federativa essencial aos
interesses da população", afirmam os governadores.

O documento esclarece que os valores pertencentes por obrigação constitucional aos Estados e municípios, entre eles relativos ao FPE, FPM, FUNDEB, SUS, royalties, são tratados pela publicação "como uma concessão política do atual Governo Federal".

"São mencionados também os valores repassados aos brasileiros para o auxílio emergencial, iniciativa do Congresso Nacional, a qual foi indispensável para evitar a fome de milhões de pessoas. Suspensões de pagamentos de dívida federal por acordos e decisões judiciais muito anteriores à Covid-19, e em nada relacionadas à pandemia, são ali também listadas."

Clique aqui e veja aqui a nota na íntegra

Os governadores ainda questionam: "adotando o padrão de comportamento do Presidente da República, caberia aos Estados esclarecer à população que o total dos impostos federais pagos pelos cidadãos e pelas empresas de todos Estados, em 2020, somou R$ 1,479 trilhão. Se os valores totais, conforme postado hoje, somam R$ 837,4 bilhões, pergunta-se: onde foram parar os outros R$ 642 bilhões que cidadãos de cada cidade e cada Estado brasileiro pagaram à União em 2020?

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.