Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região SÓ ENTRA COM VACINA

Surpresa, tumulto e apoio marcam primeira semana do passaporte vacinal no Estado

Obrigatoriedade da comprovação pega alguns turistas desprevenidos na Serra, mas costuma contar com apoio, com exceções, como ocorreu em Porto Alegre

Por Fernanda Fauth*
Publicado em: 23.10.2021 às 07:00 Última atualização: 23.10.2021 às 17:35

A obrigatoriedade do comprovante vacinal em atividades consideradas de alto risco como eventos sociais, cinemas, atrações, competições esportivas, entre outras, completa uma semana na segunda-feira (25). Os primeiros dias foram marcados por opiniões favoráveis, contrárias e alguns tumultos. Em Porto Alegre, manifestantes contra a obrigatoriedade causaram confusão em sessão da Câmara de Vereadores durante a semana.

Nos parques turísticos da Serra, parte dos visitantes não sabia da obrigatoriedade, o que levou a filas em entradas e muitas pessoas precisando baixar o aplicativo com o comprovante vacinal para poderem dar andamento ao seu passeio.

Jamiles e Lucas baixaram aplicativo para comprovar vacinação
Jamiles e Lucas baixaram aplicativo para comprovar vacinação Foto: Fernanda Fauth/GES-Especial

Foi o caso de Jamiles e Lucas Lírio, do Espírito Santo. "Não sabíamos da exigência, fomos pegos de surpresa", relatam. Na entrada do Parque do Caracol, tentavam baixar o documento.

Já Cleusa Barbosa e Moisés Silva, de Goiás, precisaram estacionar o automóvel ao lado da entrada, para encontrar uma forma de apresentar o comprovante. Ela tomou duas doses e seu companheiro completou o esquema vacinal com a terceira, contudo, a carteira ficou dentro do cofre, no hotel. "Deixamos guardado, porque ninguém nos pediu até o momento. Mas achamos que está certo, tem que solicitar sim, e temos que agradecer a quem criou a vacina e fazê-la", declara a turista.

Segundo um atendente do parque estadual, os primeiros dias tiveram registros de longas filas. "Cerca de 50% das pessoas chegavam despreparadas, muitas estão com dificuldade para baixar o aplicativo. Mas, infelizmente, não dá para aceitarmos apenas a palavra de que fez."

Em dias de movimento, a Cascata do Caracol chega a ter mais de 3 mil visitantes. "Tivemos várias pessoas barradas já, uma inclusive chorou por não poder entrar. E creio que neste final de semana teremos transtornos", finaliza.

A Associação dos Parques e Atrativos da Serra Gaúcha (Apasg) é contrária à medida. Conforme a presidente Manuela da Costa, o impacto financeiro será grande. "Várias atrações me informaram que estão perdendo clientes. Fizemos um levantamento e a média de perda é de 20%", diz. "Também precisaram contratar um profissional apenas para averiguar protocolos. Vejo isso como um retrocesso. Nossa região tem como maioria turistas de fora do Estado, alguns locais estão muito atrasados com a vacinação", opina.

*Colaborou: Shállon Teobaldo

Famurs defende autonomia de municípios

Durante esta semana, a Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs) se posicionou contrária à medida do governo do Estado. De acordo com o presidente da entidade, Eduardo Bonotto, os municípios deveriam ter sua própria autonomia. "É no município que a vida acontece e os prefeitos sabem da realidade nas suas cidades, claro que sempre observando os protocolos e buscando estar mais próximos da população", informa.

A Famurs está em contato com a secretária estadual da Saúde, Arita Bergmann, e com o secretário-chefe da Casa Civil, Artur Lemos, para tratar do assunto.

''Não é uma medida restritiva de circulação''

A chefe da Vigilância em Saúde do Estado, Tani Ranieri, destaca que a exigência não restringe a circulação usual da comunidade e, sim, apenas em atividades de alto risco. Mais de 93% da população adulta gaúcha já iniciou o esquema vacinal e ela reforça que essa é uma medida temporária. “A vacina é a única forma de controle e segurança”, afirma, reiterando que, quanto mais pessoas imunizadas, menos variantes novas surgirão.

Quem não levar a carteirinha, fica fora da sala do cinema

Com a carteira de vacinação em mãos no cinema, Vanessa afirma que se sente mais segura
Com a carteira de vacinação em mãos no cinema, Vanessa afirma que se sente mais segura Foto: PAULO PIRES/GES

Os cinemas no Rio Grande do Sul também tiveram que se adequar às regras. Em Canoas, as redes Cinemark e UCI, que funcionam no Canoas Shopping e ParkShopping Canoas, respectivamente, adotaram a medida desde o dia 1º de outubro, mesmo quando ainda era período de transição.

"Na nossa avaliação, tem mais prós do que contras. Percebemos que muitos clientes não vinham mais desde o início da pandemia e com exigência do passaporte vacinal começaram a retomar a atividade", comenta a gerente do UCI Canoas, Rafaéle Oliveira. De acordo com a assessoria da rede, a comprovação pode ser feita por meio da caderneta física ou com o certificado nacional de vacinação digital, do Conecte SUS.

Antes de comprar o ingresso, os atendentes já solicitam documento com foto e a carteirinha para evitar transtornos. Na fila para entrar na sala de cinema, volta-se a cobrar a apresentação do comprovante. "Nos fins de semana, dias de maior movimento, o UCI ParkShopping Canoas estorna em média de 20 a 30 ingressos de pessoas que ainda não se vacinaram e compraram as entradas pela internet", informa a administração.

O Cinemark não especificou como foram os primeiros dias do regramento, mas garantiu que adota todas as orientações e exigências, com objetivo de assegurar uma jornada mais segura aos espectadores e um ambiente saudável para os colaboradores. A rede, que atua no Canoas Shopping, reforçou ainda que segue os protocolos validados pelo Hospital Israelita Albert Einstein em todos os seus cinemas.

''Me sinto mais segura''

Na última quinta-feira, foi a terceira vez que a autônoma Vanessa Olindo, moradora do Centro de Canoas, foi ao cinema desde que o passaporte vacinal passou a ser exigido.

Enquanto comprava ingressos no UCI, na companhia da filha, Mariana Mota, 12 anos, Vanessa disse que concorda com a exigência. "É importante esse controle para evitar a disseminação do vírus, me sinto mais segura de frequentar sabendo que todos na sala estão vacinados", defendeu Vanessa.

Eventos na Serra exigem comprovação

O Sonho de Natal, em Canela, iniciou na sexta-feira e já exigiu o comprovante vacinal do público. O Festival de Gastronomia, que acontece em paralelo na Praça João Corrêa, também está solicitando.

Já o Natal Luz, evento de Gramado, emitiu nota oficial na sexta-feira, comunicando que “cumprirá todos os protocolos exigidos pelo decreto estadual, sendo obrigatória a apresentação do certificado de vacinação”. Até o início da semana, a Gramadotur tinha a posição de que não solicitaria, por entender que seguiria orientações da Amesne.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.