Publicidade
Notícias | Rio Grande do Sul Educação

Escolas de educação infantil fazem manifesto pedindo a reabertura

O objetivo da iniciativa é sensibilizar o governo do Estado e prefeituras para a abertura imediata das escolas privadas

Por Susi Mello
Publicado em: 08.04.2021 às 12:27 Última atualização: 08.04.2021 às 12:27

Escola Casinha D´Mel faz manifesto Foto: Divulgação

Escolas de educação infantil da rede privada do Estado realizaram manifesto na manhã desta quinta-feira (8), das 9 às 11 horas, em frente de suas instituições. Vestindo camisetas brancas, direção e docentes registraram imagens em frente às instituições, decorados com balões brancos, representando a paz, e coloridos em referência às crianças, além de faixas e cartazes. O objetivo da iniciativa, organizada pelo Sindicato Intermunicipal dos Estabelecimentos de Educação Infantil do Estado do Rio Grande do Sul (Sindicreches), é sensibilizar o governo do Estado e prefeituras para a abertura imediata das escolas privadas, em função da redução de óbitos e ocupação de leitos no Estado.

A presidente do comitê de enfrentamento a Covid do Sindicreches, Letícia Mello, estima que o manifesto tenha atingido as 3,5 mil escolas ligadas ao sindicato. "A nossa expectativa com esse manifesto, a partir de dados de baixo nível de contaminação e da redução na taxa de ocupação dos leitos Covid, é que a situação retorno à bandeira vermelha amanhã (sexta) para que possamos reabrir na próxima semana", antecipa.

O pedido de retorno, explica Letícia, já havia feito por meio de reunião com o Ministério Público, com secretaria municipal de educação de Porto Alegre e há duas semanas houve um manifesto em frente ao palácio. Além do mais, comenta, um pedido de agenda com o governador do Estado já foi registrado.

Fotos nas redes sociais

Escola Casinha D´Mel participou do manifesto Foto: Divulgação
Escolas que participaram do manifesto, além de encaminhar as fotos para o Sindicreches, postaram em suas redes sociais. A delegada do Sincreches em Estância Velha e diretora da Escola de Educação Infantil e Centro de Recreação Casinha D´Mel, no Centro, Carla Ludwig Nunes, salienta que há 14 unidades no município, representando aproximadamente mil alunos de zero a cinco anos.

Desde o início de março estão fechadas. "A educação infantil é essencial e entendemos que o retorno é seguro para as crianças", sublinha. Além do mais, defende, escolas privadas também são empresas. "Somos impedidas de trabalhar, mas somos cobradas por impostos", sublinha.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.