Publicidade
Opinião Opinião

A resiliência psicológica

Por Jackson Buonocore
Publicado em: 03.03.2021 às 23:02 Última atualização: 03.03.2021 às 23:02

A palavra resiliência vem do latim "resilire", que significa recusar, voltar atrás. É também a capacidade de sermos flexíveis diante das adversidades, ou seja, é a flexibilidade erguida por meio de um conjunto de crenças ou valores, que permitem superar os obstáculos e construir um futuro com êxito.

É quando, por exemplo, uma pessoa perde o emprego, bate o carro, é lograda pelos sócios, repete o erro de confiar em que não deveria, falece sua mãe, é traída pelo cônjuge, sofre uma decepção com um filho, passa por uma grave doença ou terá que fazer uma cirurgia de risco. Porém, ela continua firme e forte, não se deixando abater. E a gente se questiona: como essa pessoa consegue?

Mas existem explicações para tal pergunta, não se é resiliente sozinho, apesar da resiliência ser subjetiva. A psicologia destaca que o valor do relacionamento com a família, sobretudo, na infância auxiliou na constituição da inteligência emocional de uma pessoa para suportar as crises, bem como a sociologia diz que o capital cultural que ela adquiriu de herança, transformou-lhe em resiliente.

Aliás, a mente humana possui  a aptidão de estabelecer o contato com o mundo espiritual, onde a pessoa resiliente aprendeu a ter uma postura ética, que pode estar ligada a uma religião ou não, com a percepção cosmológica de que somos parte inseparável do planeta terra e do universo.

Essa força de vontade dá sentido à vida ou de buscar a razão de viver, de posicionar-se com fé e segurança nas possibilidades que a existência oferece para enfrentar as dificuldades. Assim, o sujeito resiliente tem empatia pelos outros e competência de compreender suas emoções e de saber lidar com as situações complicadas, que a sociedade impõe.

Desse modo, o indivíduo resiliente adquiriu maturidade e sabedoria ao encarar as turbulências da vida, que são áreas que estão ligadas à resiliência psicológica e cooperam para a superação dos problemas, que é a habilidade de confiar no desempenho, de contornar os contratempos, de ter um olhar positivo e de cultivar a esperança.

Portanto, os estudos neurocientíficos comprovam que nosso cérebro apresenta a plasticidade de se modificar continuamente e de se recuperar, mostrando que podemos nos tornar mais resilientes. Isso está aliado à nossa habilidade psíquica e social de adaptar-se às mudanças ambientais externas e internas, graças à ação sinérgica de diferentes órgãos, coordenados pelo sistema nervoso central.

Em outras palavras, é como diz o refrão da música "Volta por Cima", de Paulo Vanzolini: "Reconhece a queda e não desanima. Levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima".


O artigo publicado neste espaço é opinião pessoal e de inteira responsabilidade de seu autor. Por razões de clareza ou espaço poderão ser publicados resumidamente. Artigos podem ser enviados para opiniao@gruposinos.com.br
Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.